Olá, tudo bem? Obrigado por visitar-nos. Queremos divulgar nossa tradição não só no Rio Grande, mas aonde houver um gaúcho. Se gostares do blog, divulgue para tua lista de contatos. Aproveite a visita ao blog, deixe seu RECADO, COMENTE nossos posts, olhe nossos PRODUTOS e seja um SEGUIDOR.

Faça seu pedido

Eva - Luiz Fernando Veríssimo

Olá Caro leitor, se quiseres acompanhar nossos artigos, assine o FEED ou receba os artigos por EMAIL. Siga o blog no TWITTER!
Crônica: Eva

Na velha questão sobre a origem da humanidade, eu defendo o meio-termo. Um empate entre Darwin e Deus. Aceito a tese darwiniana de que o Homem descende do macaco, mas acho que Deus criou a mulher. E nós somos a consequencia daquele momento trágico em que o proto-homem, deslocando-se de galho em galho pela floresta primeira, chegou à planície do Éden e viu a mulher pela primeira vez.

Imagine a cena. O homem-macaco de boca aberta, escondido pela folhagem, olhando aquela maravilha: uma mulher recém-feita. Como Vênus recém-pintada por Boticelli, com a tinta fresca. Eva espreguiçando-se à beira do Tigre. Ou era o Eufrates? Enfim, Eva no seu jardim, ainda úmido da criação. Eva esfregando os olhos. Eva examinando o próprio corpo. Eva retorcendo-se para olhar-se atrás e alisando as próprias ancas, satisfeita. Eva olhando-se no rio, ajeitando os longos cabelos, depois sorrindo para a própria imagem. Seus dentes perfeitos faiscando ao sol do Paraíso. E o quase-homem babando no seu galho. E, com muito esforço, formulando um pensamento no seu cérebro primitivo. “Fêmea é isso, não aquela macaca que eu tenho em casa.”

Há controvérsias a respeito, mas os teólogos acreditam que quando Eva foi criada por Deus tinha entre 19 e 23 anos. E ela reinou sozinha no Paraíso por duas luas. E, instruída por Deus, deu nome às coisas e aos bichos. E chamou o rio de rio e a grama de grama, e a árvore de árvore, e aquele estranho ser que desceu da árvore e ficou olhando para ela como um cachorro, de Homem. E quando o Homem sugeriu que coabotassem no Paraíso e começassem outra espécie, Eva riu, concordou só para ter o que fazer, mas disse que ele ainda precisaria evoluir muito para chegar aos pés dela. E desde então temos tentado. Ninguém pode dizer que não temos tentado.

Texto: Luiz Fernando Veríssimo

Você sabia? O Blog da Pithan Pilchas é atualizado todos os dias, por isso recomendo que siga nosso TWITTER (http://www.twitter.com/pithanpilchas), RSS FEED, FACEBOOK ou cadastre seu endereço de e-mail para receber nossas atualizações por e-mail. 

Um abraço e muito obrigado por visitar o blog.

Assine o FEED ou receba os artigos por EMAIL. Siga o blog no TWITTER!

3 comentários:

  1. Paulo, meu querido!
    Eu adoro as crônicas e os textos de Veríssimo.
    E essa aqui está fantástica! Não por eu ser mulher, claro, mas pelo sentido que há nas colocações. Não acredito que nós mulheres sejamos superiores aos homens, mas acho que adquirimos uma percepção diferenciada a respeito da vida. É certo que ela está se perdendo entre as mulheres modernas, e o caminho de aprendizado e evolução é longo...para ambos!
    Grande beijo,
    Jackie

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, muito bom o texto, passei por aqui. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado...valeu pelo comentário.

    Abr.

    Paulo

    ResponderExcluir

Promoção LIVROS na PITHAN PILCHAS

Promoção LIVROS na PITHAN PILCHAS
COMPRE SEU LIVRO NA PITHAN PILCHAS: CLIQUE NA IMAGEM PARA SABER MAIS
Related Posts with Thumbnails